ARTIGO PUPLICADO NO JORNAL A NOTÍCIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA EM 07.10.2010.

Ao se falar em transe hipnótico, surgem diversas perguntas. Em geral, são sempre as mesmas.
Por meio de um relaxamento profundo, ou hipnose, ou ainda estado Alfa, o terapeuta conduz o relaxamento com um tom de voz, em geral, calmo e repetitivo, num ambiente tranqüilo, trazendo sensação de extremo bem- estar. Mas só é hipnotizado quem se entrega ao processo.

A hipnose utilizada terapeuticamente é consciente e qualquer pessoa que queira pode entrar em transe hipnótico. Muitas vezes o terapeuta não consegue fazer com que você regrida.

É o seu “eu” dizendo que não é o momento. Você não está preparado para ter essa experiência ou as respostas de que você precisa. Quando o nível de ansiedade é alto, tornar-se mais difícil obter um relaxamento completo, mas com exercícios e práticas todos podem atingir o nível de transe hipnótico adequado.

Ao trabalharmos sobre o subconsciente/inconsciente, limpando-os das ilusões, traumas e bloqueios, provocamos a manifestação da verdadeira personalidade do indivíduo e todas as doenças irão, gradativamente, deixar de se manifestar. Males e medos começam a desaparecer, pois agora tem mais consciência de si e do seu potencial.

A hipnologia vale-se de instrumentos como a hipnose clínica, as técnicas de regressão, a reprogramação mental e tantas outras técnicas, para promover o despertar da consciência do Ser, e quando a pessoa passa de um nível consciencial para outro, tudo se transforma. O indivíduo aprende a se gerenciar, a administrar, com sucesso, a própria vida. Eis, então, o que difere de outras linhas terapêuticas, que não pode, está impedida pela “ciência oficial”, de ir além do que pode ser percebido por meio dos cinco sentidos básico do homem. Quando você se conhece, se valoriza, se autoafirma, se altoestima, o milagre da vida se renova a cada dia.

Postado em: Sem categoria