No dia 29 de julho de 1953 na cidade de Utrech – Holanda houve a realização do I Congresso Internacional de Parapsicologia e nesta ocasião a Parapsicologia foi reconhecida como uma Ciência. Em Joinville através da lei municipal nº 4.822 de de 16/09/2003, foi criado oficialmente o “Dia do Parapsicólogo” a ser comemorado no dia 29 de julho. O Instituto de Parapsicologia e Ciências Mentais de Joinville, há mais de uma década vem promovendo cursos Livre de Qualificação Profissional em Parapsicologia.

Os parapsicólogos, como pesquisadores, estudam o ser humano como desencadeador dos fenômenos paranormais e afirma que a mente humana é a desencadeadora da energia que produz esses fenômenos. Os parapsicólogos também desenvolvem o trabalho inovador de ajuda terapêutica e desponta como a ciência terapêutica da nova era por fazer-se descobrir, em cada um, o poder de direcionar a própria vida. No entanto, muita gente ainda tem medo de ir ao parapsicólogo. O que acontece muitas vezes, mais que o preconceito ou a falta de informação é a decisão de pedir ajuda. Também é importante que a idéia de ajuda emocional saia do estereótipo de ser um luxo, manha ou falta de controle da sua personalidade.

A parapsicologia clínica trata de coisas que acontecem com todo mundo, estuda experiências humanas subjetiva que pode ocorrer em qualquer época da vida e em qualquer lugar. Por isso, quando se está insatisfeito com a qualidade emocional, sente-se desconfortável consigo e com o outro; com o andamento de sua vida, ou não está conseguindo superar sozinho algum sofrimento, a procura por sessões terapêutica para a obtenção de resultados é aconselhado.

Cada coisa que acontece em nossa vida é impresso no subconsciente/inconsciente, somos produtos do que presenciamos ou vivenciamos quer no período da vida intra-uterina, no nascimento, na primeira infância, na pré-adolescência, na adolescência ou a outras etapas da vida. O que foi impresso na mente pode ser que passe despercebido, mas, em algum momento, ele vai determinar alguma ação em sua vida.

Tudo que acontece na nossa vida, tendo resultados positivos ou negativos, fica em nossa mente gravado. Se vivemos alguma situação marcante e desagradável, que nos traga ansiedade, tristeza, medo ou angústia temos que tratá-la, pois ela vai ficar sempre no subconsciente/inconsciente como forma de programação.

Deixar para o “tempo apagar” é se torturar, ocorrendo muitas vezes a desenvolver doenças psicossomáticas, determinando desajuste comportamentais.
Quando a pessoa desembaraça de seus conflitos emocionais, ela é capaz de olhar para si mesmo e para outras pessoas objetivamente.

Postado em: Sem categoria