A terapia regressiva é um recurso psicoterápico que utiliza como método terapêutico a regressão de memória. Nesse processo, o paciente é levado retroceder a estágio anteriores da vida, com o objetivo de detectar, em nível consciente, vivências traumáticas, reprimidas no inconsciente relativas a existências passadas, à vida intra-uterina, ao nascimento,à primeira infância, à adolescência ou a outras etapas de vida.

Os traumas destas etapas de vida são responsáveis por numerosas manifestações patológicas de natureza psíquica, de relacionamento interpessoal, determinando desajustes comportamentais. Isto acontece porque o subconsciente tem a tendência a achar que o passado continua a acontecer hoje e nos prejudica na vida atual com as defesas que foram necessárias no passado e, agora, não são mais.

O terapeuta, através da regressão, procura levar o cliente a descobrir, no passado, a origem do problema apresentado em suas queixas, localizando a situação traumática e harmonizando as cargas emocionais que representam as dificuldades presentes.

As técnicas terapêuticas voltadas à regressão também diferem bastante em abordagem e conteúdo, embora todas tenham o mesmo propósito básico.
As técnicas empregadas podem ser: Relaxamento Psicossomático ou a Hipnose para indução das poderosas ondas eletromagnéticas do ritmo alpha do cérebro, que produzem supermemória e super-sensibilidade.

Segundo Netherton, considerado o pai da terapia de regressão no Brasil, as técnicas utilizadas possuem uma eficiência enorme para ajudar a pessoa a redecidir sua vida, tendo liberação da memória emocional e somática.

A terapia regressiva não realiza cura milagrosa. A pessoa, mediante um trabalho de concentração, deixar o seu passado para trás, impedindo-o de interferir no presente. Isso possibilita que toda a força do seu potencial humano se concretize.

Não há limite para o uso dessa técnica terapêutica, pois sua aplicação abrange os campos: físicos, mental e espiritual. Com o auxílio dessa terapia, muitas disfunções podem ser curadas ou aliviadas, como medos, timidez, pânico, depressão, mágoas, dificuldade de raciocínio lógico, concentração, entre outras. É um tratamento profundo e não oferece nenhum perigo, desde que seja conduzido por um profissional capacitado.

Artigo publicado no Jornal A Notícia do Estado de Santa Catarina em 15/07/08

Postado em: Sem categoria