ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL NOTÍCIAS DO DIA DE JOINVILLE EM 13/10/09

Utilizada desde o antigo Egito, a Hipnose sempre foi centro de estudos nos diversos centros acadêmicos. Sua aplicação prática vem ganhando espaço desde o século passado. Embora não possa ser considerada a cura para todos os males, a Hipnose é uma das alternativas para casos onde a medicina tradicional não consegue obter resultados satisfatórios.

No Brasil, o Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo mantém desde 1999 um departamento de Hipnose, atendendo pacientes que são encaminhados por outros setores do hospital. Na Universidade Estadual de Londrina – UEL, alunos da Faculdade de Odontologia, estão trabalhando com a Hipnose. No hospital universitário do sul de Manchester na Grã-Bretanha, a hipnoterapia continua sendo um trabalho efetivo.

A hipnose terapêutica é um estado em que a pessoa fica relaxada e concentrada ao mesmo tempo. É um estado de relaxamento semi-consciente. O transe é induzido de modo gradual e por etapas, através da fadiga sensorial. Às vezes sente uma leve sonolência e o ritmo eletromagnético de seu cérebro corresponde ondas Alpha. “O eletroencefalograma (EEG) da pessoa sob hipnose é de vigília, e não de sono” ( Dra. Sofia Bauer).

O estado de transe leva você para o seu lado interno, o seu inconsciente. É ir para dentro de você mesmo, ajudado pelo terapeuta, que vai lhe orientando como respirar, como sentir seu corpo, como voltar-se para dentro das suas emoções. A pessoa pode abrir os olhos, ri, chorar, mudar de posição. Para Freud a hipnose torna palpável o inconsciente.

A hipnose ajuda o paciente a modificar uma determinada formar de pensar ou a identificar bloqueios relacionados aos problemas. É uma técnica maravilhosa de modificação das programações negativas que a vida imprimiu desordenadamente sobre a pessoa. E, no final, a pessoa sente leveza e estabilidade e a sensação de estar em paz com o passado e o seu presente. A hipnose como técnica terapêutica tem um efeito profundo e duradouro e não oferece nenhum perigo, desde que seja aplicada por profissionais.

Comentários

Postado em: Sem categoria