ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL A NOTÍCIA DO ESTADO DE SC EM 13/06/2009 

Não é apenas o avanço tecnológico que marcou o inicio deste milênio. Os relacionamentos, de maneira geral, estão sofrendo transformações profundas e dinâmicas.

O que se busca hoje é uma relação compatível com os tempos modernos. As pessoas estão perdendo o medo de ficar sozinhas e aprendendo a conviver melhor consigo mesmas. Quanto mais o indivíduo for competente para viver sozinho, mais preparado estará para uma relação afetiva.

Todas as pessoas deveriam ficar sozinhas de vez em quando, para estabelecer um diálogo interno e descobrir sua força pessoal. Estamos entrando na era da individualidade, o que não tem nada a ver com egoísmo. Egoísmo não é amor. O egoísta rouba a energia que vem do outro, seja ela financeira ou moral.

Aristóteles, filósofo grego, escreveu que ninguém é dono de sua felicidade. Se você anda repetindo muito: “ eu preciso tanto de você” ou, “você é a razão da minha vida”, cuide-se. Deve existir respeito, alegria e prazer de estar junto, e não mais uma relação de dependência, em que um responsabiliza o outro pelo seu bem-estar. Relações de dominação e de concessões exageradas são coisas do século passado.

Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos. Mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. A razão da sua vida é você mesmo. A sua paz interior é a sua meta de vida.

Quando sentir um vazio na alma, quando acreditar que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, remeta seu pensamento para os seus desejos mais íntimos e trabalhe, trabalhe muito o seu dialogo interior- sendo observador imparcial. Pare de esperar a felicidade sem esforços. Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda. O relacionamento humano pode ser um inferno ou pode ser um grande exercício espiritual. Quanto mais aberta estiver sua mente ao aprendizado da vida, melhor será a convivência entre as partes.

Postado em: Sem categoria